Palmas jogará de portões fechados contra o Princesa do Solimões

Palmas e Princesa do Solimões jogarão no vazio Nilton Santos - Divulgação/Arquivo Pessoal
Palmas e Princesa do Solimões jogarão no vazio Nilton Santos - Divulgação/Arquivo Pessoal
Palmas e Princesa do Solimões jogarão no vazio Nilton Santos – Divulgação/Arquivo Pessoal

Saiba os motivos porque o Palmas perdeu o direito de ter torcedor em seu jogo    Circular Portões Fechado (1)

A partida entre Palmas x Princesa do Solimões (A), jogo de ida do mata-mata, pelo Campeonato Brasileiro da Série D, às 18h30, no próximo sábado, no Estádio Santos, na Capital será de portões fechados. Motivo: o clube não conseguiu entregar no prazo, os laudos exigidos pela entidade, o da Vigilância Sanitária e de Engenharia. Em razão disso, o clube foi punido e não poderá ter a presença do torcedor para acompanhar a partida. A informação foi confirmada pela Federação Tocantinense de Futebol (FTF).

 

Prazo

O diretor de futebol do Palmas, Kariello Coelho, explicou que o clube providenciou os laudos, mas somente no dia 26 e que a CBF tinha o prazo no dia anterior. Disse que iria correr atrás par reverter a situação. “Infelizmente não poderemos ter a presença do nosso torcedor. Mas já estamos providenciando tudo para que na próxima fase, caso o Palmas se classifique possamos contar novamente com todos no Nilton Santos”, lamentou o ocorrido.

FTF

Já o vice-presidente da Federação Tocantinense de Futebol (FTF), José Wilson Soares, disse que todos os prazos foram esgotados, e que os laudos que chegaram na entidade estavam sem assinatura dos responsáveis. Disse também que não será permitida a venda de ingresso, ninguém nas arquibancadas, somente profissionais da imprensa credenciados e o pessoal operacional que irão trabalhar no jogo.

E dirigente de clube total de cinco, e no dia 29 sexta-feira, a diretoria precisa passar a relação de quem poderá estar no jogo. E a eventual presença de torcedor no estádio será encaminhado um relatório do árbitro do jogo para Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para as sanções cabíveis.