Interporto paga bicho de R$ 30 mil pela conquista do título Tocantinense

Comemoração do pessoal do Interporto em frente à Prefeitura de Porto Nacional - Fotos: Donril Sobrinho
Carreata pela cidade dos jogadores campeões do Interporto – Fotos: Dornil Sobrinho
Jogadores comemoram em cima do carro do Corpo de Bombeiros
Galera comemorando pelas rusa da cidade de Porto Nacional – Inter´portio campeão estadual Fotos; Dornil Sobrinho

Um bicho de R$ 30 mil para ser dividido entre os jogadores e a comissão técnica do Interporto pela conquista do quarto título estadual, ocorrido no último sábado à noite, na cidade de Araguaína, após vitória sobre o Sparta por 2 x 0. Segundo a diretoria, pela classificação à final, os jogadores já tinham sido agraciados com uma premiação de R$ 10 mil.

 

Ontem, a diretoria promoveu uma grande festa dos campeões com direito a uma carreata em cima do carro do Corpo de Bombeiros passando pelas principais ruas e avenidas de Porto Nacional. Os jogadores também foram à Prefeitura de Porto e recebidos pelo Prefeito Municipal, Joaquim Maia. A carreata foi finalizada na Orla Beira-Rio. Nesta terça-feira, os jogadores e atletas serão pagos pela diretoria e começarão a retornar para suas residências.

 

Com o título, o Interporto garantiu o direito de representar o Tocantins na Copa do Brasil do próximo ano, bem como a disputa do Brasileiro da Série D. Esta será quinta vez que o Tigre disputará a Copa do Brasil. Anteriormente, o clube portuense havia disputado a competição nos anos de 1999, 2000, 2004 e 2014.

A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sentadas

Ontem, durante o programa CBN Tocantins Esportes (foto), os jogadores Felipe Barreiros, Felipe Blau, Guilherme, o preparador físico Luesley Almeida e o diretor de futebol Richard Sanches, enalteceram o projeto traçado pela diretoria do clube que resultou no título estadual. “A equipe iniciou o trabalho em fevereiro sabendo que se fizesse bem feito o título seria uma consequência o que aconteceu”, enfatizou Sanches.

 

Inovação

Fora das quatro linhas, a diretoria inovou no futebol tocantinense ao lançar e promover a bilheteria solidária, cujo objetivo foi arrecadar alimentos não perecíveis e depois doar às famílias carentes de Porto Nacional. O torcedor pagava R$ 2,00 e levava dois quilos de alimento não perecíveis e trocava pelo ingresso. Com isso, o clube conseguiu levar mais mil torcedores em cada jogo disputado no Estádio General Sampaio.