Tocantins conquista um ouro, três pratas e 11 bronzes na etapa regional do Brasileiro de Judô de Brasília

Ennilara Lisboa no Brasileiro de Brasília exibe a medalha de ouro - Foto: Marcus Mesquita/Divulgação
Sensei Celso Galdino oreinta pupilo durante a competição – Foto-Marcus-Mesquita
Mayons Brito no segundo posto do pódio do Brasileiro – Foto-Marcus-Mesquita
Arbitragem tocantinense se fez presente no Brasileiro de Brasília – Foto: Marcus Mesquita/Divulgação

Durante o último final de semana, nos dias 22 e 23, em Brasília, a delegação tocantinense participou do Campeonato Brasileiro de Judô Região IV, que reuniu 632 atletas dos estados do Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Tocantins em disputas por medalhas na competição, realizada pela Confederação Brasileira de Judô (CBJ). E os judocas tocantinenses subiram 15 vezes ao pódio, conquistando uma medalha de ouro, três de prata e 11 de bronze para o estado.

Ao todo, compuseram a delegação 56 competidores e, além das 15 medalhas conquistadas, outros 17 atletas disputaram a medalha de bronze, ficando na quinta colocação nas respectivas categorias. Para o chefe da delegação, Celso Galdino, ver tantos jovens atletas conquistando e disputando medalhas é a garantia de mais uma geração de campeões tocantinenses. “Voltamos com um saldo bem positivo. Foram 15 medalhas e 17 quintas colocações. E é importante destacar que muitos medalhistas são atletas novos, além daqueles que quase subiram no pódio, o que mostra que continuamos crescendo, garantindo uma nova geração de representantes do Tocantins”, ressaltou o Sensei.

Destaques

O principal destaque da delegação nesta edição do evento foi Ennilara Silva, campeã na categoria Sênior Meio-Médio (-63 kg). Para a judoca, o alto nível da etapa regional do Brasileiro a deixa otimista para a futura disputa da fase final da competição, prevista para novembro. “A etapa final vai estar bastante forte, inclusive com atletas da seleção brasileira principal. Mas, como no nosso regional também tem atletas muito fortes, com competidoras que já tinham me vencido, mas que eu consegui vencer agora, eu acredito que exista a possibilidade de eu subir no pódio. Vou me preparar para isto e corrigir as minhas falhas até lá”, destacou Ennilara, que chegou ao oitavo título do brasileiro regional.

Outro atleta que se destacou na competição foi Mayons Brito, que disputou duas finais, nas categorias Sub21 e Sênior Super-Ligeiro (-55 kg), ficando com a prata em ambas. “É uma sensação um pouco chata; não dá para ficar totalmente feliz depois de ter triscado no ouro e ter perdido o título. Na Sub21 eu estava ganhando até os 20 segundos finais, quando cometi um erro; e a outra luta foi muito dura e eu fui derrotado também. Agora é corrigir tudo o que me levou a cometer os erros que cometi para brigar por medalhas na etapa nacional; tenho confiança de que isto pode acontecer”, afirmou, com convicção, o tricampeão regional brasileiro.

Medalhistas

Segue, agora, a lista completa dos medalhistas por associações que representam no Tocantins:

. Cemil de Palmas (três medalhas):

– Prata: Ronnan Lino, Sub15 Ligeiro (-40 kg);

– Bronze: Clarice Ferreira, Sub13 Médio (-47 kg); e Maria Vitória Silva, Sub13 Meio-Leve (-34 kg).

. Judô Araguaína/Aocam (uma medalha):

– Bronze: Arthur Gomes, Sub13 Leve (-38 kg).

. Kodokan/Paraíso (duas medalhas):

– Bronze: Letícia Lopes, Sub13 Ligeiro (-31 kg); e Samuel Santana, Sub21 Meio-Pesado (-100 kg).

. Palmas Judô Clube (oito medalhas):

– Prata: Mayons Brito, Sub21 e Sênior Super-Ligeiro (-55 kg);

– Bronze: Adiel Ferreira, Sub15 Médio (-58 kg); Matheus Alves, Sub18 Médio (-81 kg); Maurício Zette, Sub15 Super-Ligeiro (-36 kg); Thiago Gaspar, Sub15 Leve (-48 kg); Victória Vale, Sub 15 Super-Ligeiro (-36 kg); e Weliton Simões, Sênior Super-Ligeiro (-55 kg).

. Sesc (uma medalha):

– Ouro: Ennilara Silva, Sênior Meio-Médio (-63 kg).

Árbitros CBJ

Durante o evento, aconteceu o curso de arbitragem da CBJ, o que levou quatro tocantinenses a serem promovidos a Árbitros Nacionais B, sendo eles Eduardo Noleto, Felipe Guerra, Felipy Pereira e Hilton Oliveira. [Ascom Total / Fotos: Marcus Mesquita/Especial para o Alôesporte]